💬

S03:E24 - O Antes e o Depois de Portugal

Listen on:

Alexia: Olá pessoal! Hoje temos um convidado para lá de especial, que é Marco Antônio. Marco, o meu pai.

💡

um convidado para lá de especial - A super special guest!

Marco: Eu!

Alexia: Vocês já devem ter escutado os últimos episódios que falamos sobre a política, as eleições no Brasil, né? Que acabaram de acontecer e todos já sabem que o Bolsonaro ganhou, mas hoje não vamos falar sobre isso. Vamos falar sobre um tema mais leve. E como vocês sabem, nós estávamos em Portugal, porque agora nós estamos na Espanha. Mas o meu pai foi encontrar conosco em Portugal e você voltou a Lisboa depois de 30 anos, né?

💡

Vocês já devem ter escutado os últimos episódios. You should have already heard in the last episodes.

💡

um tema mais leve - a lighter, less tense topic

💡

Que acabaram de acontecer - that just happened (the elections)

💡

foi encontrar conosco - He met up with us.

Marco: Mais ou menos 30 anos que eu fui em Portugal, num momento em que Portugal claro que não pertencia à União Europeia, era somente Portugal. Era um Portugal mais simples, um Portugal que me encantou. Fiquei apaixonado por Portugal e não estava na moda Portugal, ninguém falava sobre Portugal. Chegando aqui eu tive vários e vários Espantos com o povo, com a comida... Isso aí é banal.

💡

fiquei apaixonado por Portugal - I fell in love with Portugal.

💡

isso aí é banal - That’s commonplace. Not important.

💡

estava na moda - It is popular. In style. In vogue.

Alexia: Mas calma, calma, calma. Senão você vai direto e a gente não tem uma conversa. Bom, eu foi a minha primeira vez em Portugal, né? Eu sou portuguesa, como você bem sabe graças a você que eu tenho a minha cidadania portuguesa. E minha mãe era Portuguesa e você que convenceu ela a me dar, né?

💡

Mas calma, calma, calma. But, hold up, hold on, wait a minute.

💡

cidadania portuguesa. Portuguese citizenship.

💡

senão você vai direto e a gente não tem uma conversa - if not you will dive straight into it and we won’t have a conversation.

Marco: Exatamente. Na época, na maior Inocência ela dizia: Mas para quê? Eu falava: No futuro a gente não sabe como vai ser o mundo, Alexia pode querer estudar e etc.

💡

na época - in that time, at that moment

Alexia: E ela tinha aquilo: eu sou brasileira.

💡

eu sou brasileira - I am Brazilian.

Marco: É, eu sou brasileira. Mas Aninha você é filha de português, neta de português, tem toda a família em Portugal, você tem direito a uma dupla cidadania. Então não é que você vai deixar de ser brasileira. Ah, bom. Aí ela se convenceu.

💡

neta - granddaughter

💡

dupla cidadania - double citizenship

Alexia: E aí graças a isso eu também tenho.

Marco: Ela tirou para ela, para Alexia e é por isso que então Alexia hoje tem essa dupla nacionalidade que ela se orgulha tanto e deve se orgulhar, porque Portugal é um país maravilhoso. Fico espantado cada vez mais com essa terrinha tão charmosa, tão bonita.

💡

deve se orgulhar - she ought to be proud.

💡

terrinha - Brazilians often refer to Portugal as ‘terrinha’ which means little land

💡

fico espantado - I'm impressed with (Portugal)

Alexia: Que é o apelido que a gente dá para Portugal. A gente fala que Portugal é a terrinha.

💡

o apelido - the nickname

Marco: Terrinha. Eu vou voltar para a terrinha, eu vou voltar para Portugal.

Alexia: É.

Marco: Eu vou à terrinha. É bem carinhoso.

Alexia: É muito carinhoso, é nem um pouco preconceituoso.

💡

preconceituoso - preconceived, biased

Marco: Não, ao contrário.

Alexia: Nada. Mas é, então, quando você foi a Lisboa? Porque você conheceu Lisboa, Sintra, Cascais. Você ficou naquele miolo.

💡

miolo - that area, nest, nucleus

Marco: Fiquei. Eu só quero dizer o seguinte, no primeiro dia eu cheguei de noite e eu então entrei no hotel, e acordei no dia seguinte louco para ver Portugal. Era um hotel na Avenida Liberdade, eu abri o terraço e vi uma coisa linda na minha frente. Telhados, casas não muito altas, nenhum edifício, ou seja, eles preservaram a cidade com a graça de Deus. Eu fiquei impressionado com aquilo. Não era um paliteiro de edifícios mordernosos. Era um Portugal, uma Lisboa linda que eu via de lá.

💡

Eu só quero dizer o seguinte. What I want to say is...

💡

paliteiro - a big group (of buildings)

💡

Avenida Liberdade - One of the most famous streets in Lisbon.

Alexia: E essa impressão ficou até hoje, depois de 30 anos você voltando?

💡

E essa impressão ficou até hoje. And that impression still rings true today.

Marco: Ficou. A luz de Portugal, as cores de Lisboa continuam as mesmas. Tem muito turista na rua, tem muita novidade, mas tem uma raiz portuguesa que não se modificou, Graças a Deus.

💡

Tem muita novidade. There are a lot of new things going on.

💡

Graças a Deus. Thank God.

Alexia: E qual a maior diferença que você sente entre os portugueses e os brasileiros? Porque que vocês devem saber, está tendo uma grande imigração de brasileiros para Portugal. Uma grande imigração. Então todos os dias entram brasileiros em Portugal procurando uma nova vida, procurando emprego, procurando tudo. Enfim, tem muita gente que gosta e tem muita gente que não gosta em relação aos portugueses. E tem brasileiros que chegam humildes e tem brasileiros que chegam com nariz em pé, né? E acaba tendo um choque cultural ali no meio, porque apesar da língua ser a mesma as culturas são diferentes. Brasileiro tem uma forma de ser e o português tem outra forma de ser. O que você sente que a maior diferença entre os portugueses e os brasileiros?

💡

uma grande imigração - a lot of immigration. A huge wave of immigrants (Brazilians to Portugal).

💡

procurando emprego - looking for work.

💡

apesar da língua ser a mesma - despite having a shared language

💡

procurando uma nova vida - looking for a new life.

💡

com nariz em pé - arrogant, expecting a lot from a situation

💡

uma forma de ser - a way of being

Marco: Eu não sei filhota, responder essa pergunta assim.

Alexia: Só uma coisa, filhota é um apelido que meu pai me dá que é filha, mas um jeito mais carinhoso, que é filhota.

Marco: Mas eu prefiro dizer o seguinte, é outro país. Fala-se a mesma língua, a gente tem a mesma herança cultural ocidental, mas é um outro país. Então os brasileiros que chegam devem entender isso, que não é um anexo do Brasil. Portugal é Portugal. Pesquise se há mais de mil e poucos anos e tem muita história, muita cultura. E a cultura deles entrelaçou com a do Brasil como descobrimento e depois com o povoamento do Brasil.

💡

Cultura ocidental - Western culture

💡

entrelaçou - linked, interconnected

Alexia: O que quer dizer entrelaçou?

Marco: Entrelaçou quer dizer se misturou de uma forma muito forte.

Alexia: Sim, claro. Até porque nós éramos colônia de Portugal.

Marco: Exatamente, no momento em que o rei português dom João sexto colocou o pé no Brasil e declarou que lá era a sede do império de Portugal, Brasil e Algarves, o Brasil deixou de ser colônia.

Alexia: Exatamente

Marco: Virou império.

💡

Virou império. It turned into an empire.

Alexia: Obrigada Dom João, eu acho. Não sei se é obrigada ou não, mas...

Marco: Exatamente. Agora então, resumindo, o brasileiro mudar os tempos, tem internet, as pessoas estão mais... Como se diz? Muda o estilo do trabalho. Por exemplo, o avô da Ana Maria, aninha, a mãe da Alexia e minha mulher, chegou no Rio de Janeiro.

💡

resumindo - summarizing.

Alexia: Não, o avô da Alexia.

💡

o avô da Alexia - Alexia’s grandfather

Marco: O avô da Alexia, é.

Alexia: Você confundiu. Ou seja, o pai da minha mãe…

💡

Você confundiu. You got confused.

💡

ou seja - in other words…

Marco: Exatamente. Ele chegou e ele contou que foi trabalhar num lugar aonde e limpavam bar ou lavava, fazia alguns pequenos serviços pela dormida e pela comida.

Alexia: Ou seja, ele chegou com uma mão na frente outra atrás. Essa é uma ótima expressão. Ou seja, não tinha nada. Com uma mão na frente e outra atrás. E pediu emprego, né? Pediu emprego e o que ele pediu em troca do trabalho, ele pediu um lugar para dormir e comer. Era simplesmente isso.

💡

uma mão na frente outra atrás - without means

💡

era simplesmente isso - It’s that simple.

Marco: Exatamente. Daí o meu sogro mostrou a fibra da qual ele era feito e em alguns anos ele já importava e exportava do Brasil para Portugal e coisas daqui para lá vinham e etc. E depois de algum tempo ele era um grande importador, comprou uma casa linda… Enfim, ele venceu na vida a custa de muito sacrifício e trabalho.

💡

sogro - father-in-law

💡

importador - an importer, someone that works in the import/export business

Alexia: É isso que está acontecendo hoje com os brasileiros que vão procurar Portugal. Então o que eu acho da maior diferença entre os portugueses e os brasileiros é o jeito de lidar. Os brasileiros, como a gente sempre falou aqui no Carioca Connection, nós somos muito amigáveis, muito calorosos. Nós somos muito curiosos e nós queremos saber muito um do outro e nós já ficamos amigos de primeira. Eu senti isso no português também, mas de uma forma um pouco mais distanciada.

💡

o jeito de lidar - the way of dealing with things

💡

nós somos muito amigáveis, muito calorosos - We are very friendly, very warm people.

Marco: Eu senti de bem perto, o chofer de Uber...

Alexia: Calma. Chofer é como meu pai chama motorista. Por que chofer é uma palavra francesa e é como as pessoas mais velhas, perdão, chamam motorista. Então chofer de táxi, chofer de Uber, chofer de ônibus é motorista.

💡

chofer - again, this is a word that Marco uses for driver, but is a little outdated for most people. The majority of Brazilians would say ‘motorista.’

Marco: O motorista do Uber falou para mim: Então, você tá gostando de Portugal? De uma forma muito simpática. E eu falei: estou, claro. E ele falou: muito dos seus compatriotas estão vindo para cá. Mas o senhor não se preocupe não que eles são muito bem-vindos, nós portugueses os acarinhamos muito.

💡

De uma forma muito simpática. In a really nice way.

💡

acarinhamos muito - we treat them very well

💡

compatriotas - fellow countrymen

Alexia: Ou seja, acarinhar quer dizer nós nos tratamos muito bem.

💡

ou seja - in other words

Marco: Muito bem. Em resumo, um calor muito próximo de um trabalhador, um homem já nos seus 60 anos, que estava dirigindo um carro no meio da noite para ganhar o seu salário e foi muito simpático conosco, brasileiros. Eu me sentir acolhido.

💡

me sentir acolhido - I feel very well received.

Alexia: Sim, então vamos terminar esse episódio. Sim, é rápido isso aqui pai, não é uma conversa de 3 horas. Vamos terminar esse episódio com o resumo. Visita em Portugal.

Marco: Rápido?

Alexia: Sim, vão  amanhã. Marque a próxima viagem de vocês para Portugal. Um: não tenha medo do português que você já fala. Se você chegar falando português todos vão entender, não vai ter problema. Confiem na gente.

Marco: Concordo. É só falar de uma forma mais natural, mais pausados em gíria que eles entendem perfeitamente a nós e nós a eles.

Alexia: Então é isso gente. A gente se vê no próximo episódio.