🙋🏻‍♀️

S03:E21 - As Eleições com Alexia!

Listen on:

Foster: Olá, olá, tudo bem? Oi pessoal. Sejam bem-vindos a mais um episódio do Carioca Connection. Estamos de volta. Eu estou aqui com a Alexia.

💡

Estamos de volta. We are back!

Alexia: Que apresentação! Oi gente!

💡

Que apresentação! What an introduction!

Foster: Oi Alexia, como você está?

Alexia: Eu to bem, to bem. Estamos na Espanha.

Foster: Estamos na Espanha! Bom, o que que a gente está fazendo na Espanha, amor?

💡

o que que a gente está fazendo na Espanha? What are we doing in Spain?

Alexia: Bom, eu acho que a gente não dá notícias desde Portugal. Então eu peço desculpas por isso, mas lá tava praticamente impossível de gravar episódio e postar episódio por causa da internet.

💡

Eu acho que a gente não dá notícias desde Portugal. I think we haven’t given updated since we were in Portugal. This is a great example of how oftentimes Portuguese grammar can be much more simple than English :)

Foster: Sim, a gente vai gravar um episódio inteiro sobre nossa experiência em Portugal.

Alexia: Experiência.

Foster: Experiência. Já ia me corrigir. Nossa Senhora, já começou de novo. Mas estamos de volta.

💡

Já ia me corrigir. I was about to correct myself.

💡

de novo - again, once again.

💡

Nossa Senhora - goodness, my word!

Alexia: Sim, estamos de volta com a internet maravilhosa aqui na Espanha, pelo Trusted House Sitters, de novo, tomando conta de uma cachorra incrível. Uma cadela linda.

💡

uma cachorra incrível. An incredible dog. It is more common to hear ‘cachorro,’ although using the feminine example is technically correct when referring to female dogs.

💡

uma cadela linda - cadela refers to a female dog.

Foster: Sim, que se chama Gaby.

Alexia: Gaby.

Foster: E segundo a dona dela, é little monster. É um little monster mesmo, às vezes. Só às vezes.

💡

e segundo a dona dela - and according to her owner.

💡

só às vezes - only sometimes

Alexia: Não, ela é muito carinhosa.

💡

Não, ela é muito carinhosa. No, she is very sweet.

Foster: Mas ela é. Ela é. Eu concordo. Eu concordo muito. Eu sempre concordo com você amor. Eu queria muito, muito falar sobre cachorros, sobre a Espanha, sobre Portugal, mas amanhã alguma coisa está acontecendo no Brasil.

💡

Eu concordo. Eu concordo muito. I agree. I couldn’t agree more.

Alexia: Sim, amanhã será decidido o novo presidente do Brasil.

💡

This is an interesting look at how the future tense is sometimes used in Portuguese. Not super common, but also not super intuitive to native English speakers, so worth noting the structure Alexia uses here.

Foster: Sim. E acabei de ter uma conversa com o seu pai e ele explicou um pouco sobre a história, como funciona, o processo com os turnos, esse negócio.

💡

Acabei de ter uma conversa. I just had a conversation. I just had a chat.

Alexia: Deixa eu te corrigir? Não é como ‘func- ciona’, é como funciona.

Foster: É como func-ciona.

Alexia: Funciona.

Foster: Funciona. É, eu sempre falo isso. Brigado, amor.

💡

Brigado, amor. Thanks, babe. It’s super common to hear Brazilians cut off the /O/ at the beginning of obrigado.

Alexia: De nada.

Foster: De nada. O seu pai não fez isso comigo.

Alexia: Porque não é o papel dele te corrigir, é o meu.

💡

Porque não é o papel dele te corrigir. Because it is not his job to correct you.

Foster: Mas eu falei pra ele pra me corrigir. Enfim. Com seu pai foi um pouco mais geral. Um pouco mais... é, ele falou…

Alexia: Foi um pouco mais abrangente.

💡

Abrangente. Comprehensive. Wide ranging. Extensive.

Foster: Sim, pode falar, mas pode me explicar essa palavra?

Alexia: Abrangente é quando fala um pouco de tudo.

Foster: É tipo, abridor?

Alexia: É o quê? Abridor é o que se abre garrafa.

💡

Abridor. Bottle opener.

Foster: Sim, sim mas é a mesma ideia., né?

Alexia: Não. Abranger um assunto?

Foster: Abranger. Ah, vem do verbo abranger.

💡

Abranger - to encompass, to cover (a wide variety of topics…)

Alexia: Sim, então quando é uma coisa abrangente, significa falar sobre tudo.

Foster: É, entendi. Entendi.

Alexia: Um pouco de tudo.

💡

Um pouco de tudo. A little bit of everything.

Foster: E bom, viu gente, que estou aprendendo português de novo, porque aqui na Espanha a gente fala espanhol.

💡

viu gente? Did you guys get that? Did you catch that?

Alexia: Mentira, a gente só fala inglês aqui.

💡

Mentira. That’s not true. Mentira is often used just to convey something that is not true, even if someone simply misspoke. It is much less common to hear ‘mentira’ in the context of an actual lie.

Foster: A gente tá numa parte de Espanha muito estranha que só fala inglês. Mas a minha mente já está em modo espanhol e eu estou sofrendo muito com o meu português. Mas eu vou recuperar tudo, já, já.

Alexia: Sim, bom vamos voltar ao assunto principal.

💡

Bom, vamos voltar ao assunto principal. Ok, let’s get back to the main topic.

Foster: Sim, amor. Amanhã você tem Eleições…

Alexia: Presidenciáveis.

💡

Eleições presidenciáveis. Presidential elections.

Foster: É. O que vai acontecer?

💡

O que vai acontecer? What is going to happen?

Alexia: Bom, eu acho que o Bolsonaro vai ganhar.

Foster: Comparada com a resposta que eu recebi do seu pai…

Alexia: Qual foi? Ele falou muita coisa pra chegar a esse ponto?

Foster: Não, eu fiz essa mesma pergunta e foi uma palestra de quarenta minutos. Você falou o Bolsonaro vai ganhar. Cê acha mesmo que é o Bolsonaro?

💡

Uma palestra. A lecture.

💡

Cê acha mesmo? Do you really think?

Alexia: Acho. Acho mesmo.

💡

Acho. Acho mesmo. I think so. I really do.

Foster: Tá, você quer explicar um pouco pra gente sobre quem é Bolsonaro e quem é Haddad?

Alexia: Sim, então nós temos dois concorrentes, né?, à presidência do Brasil…

💡

Concorrentes. Competitors.

Foster: Sim, candidatos.

Alexia: Um é o Bolsonaro e o outro é o Fernando Haddad. E o Bolsonaro vem da extrema…

Foster: É, uma coisa rapidinho que, eu e seu pai a gente tava tentando lembrar do nome do Haddad…

Alexia: É Fernando.

Foster: Ele falou tipo, ‘Não lembro, mas acho que isso é por causa dele, porque ele quer ser conhecido como Haddad.’

Alexia: Não. É Fernando Haddad. Gente, olha... Fake News! Já começamos com a Fake News!

Foster: Que bom. Máximo. Tá, continue, por favor.

💡

Que bom. Máximo. Great. Just great.

Alexia: Eu vou dar tanta bronca nele depois. Eu falei pra ele pesquisar sobre o assunto.

💡

Vou dar tanta bronca nele depois. I am going to really give it to him after.

Foster: Escute o episódio primeiro.

Alexia: Então temos o Fernando Haddad na esquerda e o Bolsonaro na extrema direita. Bom, eu não considero o Fernando Haddad na extrema esquerda porque ele não é PSOL, ele não é... Enfim, ele não é PSTU, que isso é extrema esquerda.

Foster: É, mas ele é um membro do PT.

Alexia: PT, sim. E aí o PT é Dilma e Lula.

Foster: Mas o que quer dizer PT?

Alexia: Partido dos Trabalhadores.

💡

If you are struggling to understand all of the different political parties and the craziness going on in Brazil, you can check out: S03:E04 - O Mecanismo Brazil’s Petrobras scandal, explained

Foster: Sim, mas é o partido do Lula.

Alexia: Sim, é o partido do Lula. Eu não vou entrar nesse assunto. Então temos esses dois.

Foster: Se isso fosse um vídeo podcast, vocês vão ver uma Alexia extremamente desesperada. Enfim, continue.

💡

extremamente desesperada. extremely desperate, concerned.

Alexia: Bom, no primeiro turno, existiam dez candidatos à presidência, né? Meu candidato era o João Amoedo, falo isso abertamente de coração feliz. Ele seria a melhor pessoa possível pro Brasil na minha concepção. Eu sou centro-direita. Eu não sou esquerda, eu sou centro-direita totalmente. Que que é Foster?

💡

no primeiro turno. In the first round.

💡

centro-direita - center-right

Foster: Você é centro-direita?

Alexia: Eu sou.

Foster: Eu estou tentando descobrir a sua visão.

Alexia: Eu já te falei quarenta vezes aí você vira pra mim e ‘Não, você é esquerda’. Eu ‘Não, eu não sou esquerda. Eu sou centro-direita’.

Foster: Talvez no Brasil é diferente.

Alexia: Sim, no Brasil, pro que eu desejo e pro que eu quero pro meu país, eu sou centro-direita.

Foster: É, não é, só é interessante pra eu aprender coisas no português que não posso aprender nos…

Alexia: Nos Estados Unidos eu provavelmente seria Liberal. Eu nunca seria uma Republicana.

Foster: É, você é anti-Trump.

Alexia: Mas não é nem questão de ser anti-Trump. Eu gosto mais dos Democratas do que dos Republicanos. E tira o Trump da, da…

Foster: É, mas... Aí a gente vai entrar num papo de princípios

💡

Aí a gente vai entrar num papo de princípios. From there we are going to end up talking about principles (core beliefs)

Alexia: Tá, então vamos voltar pro que a gente tem que falar agora.

Foster: Sim, por favor.

Alexia: E aí teve o primeiro turno, ele foi votado e ficou entre Bolsonaro e Fernando Haddad. Bom, quem é Jair Bolsonaro? Jair Bolsonaro…

Foster: É um nome que dá medo, né?

💡

que dá medo. That makes you afraid. Makes you scared.

Alexia: É. Ele dá medo.

💡

Ele dá medo. He is scary.

Foster: Eu penso no personagem do The Lion King.

Alexia: O Jafar?

Foster: É, Jair, Mufasa.

Alexia: E o Jair Bolsonaro ele é militar, ele enfim, ele participou da ditadura brasileira, logo depois disso ele entrou na política do Brasil e tá na política desde sempre. E ele sempre foi muito, muito, muito oposição à esquerda.

💡

desde sempre - forever. In this case, Alexia is saying that Bolsonaro has been in politics for a long time.

Foster: E ele é tipo, um candidato fora do sistema, mas mas é mentira, gente. Ele é político faz trinta anos já.

💡

fora do sistema. Outside of the system. An outsider.

Alexia: É, exatamente.

Foster: Ele começou nos anos 90, tipo em 92.

Alexia: Sim, sim. Ele já tá há muito tempo. E Fernando Haddad, foi prefeito de São Paulo, então ele é muito conhecido em São Paulo e muitas pessoas gostam dele. Não tem grandes reclamações pelo que eu vejo dele. É, é um cara que ama cachorro. Eu descobri isso há pouco tempo atrás.

💡

ele é muito conhecido. He is very well-known (in São Paulo).

Foster: Qual cachorro?

Alexia: Vários.

Foster: Qual a raça?

💡

Qual a raça? Which breed?

Alexia: Não, eu não sei, ele ama cachorro.

Foster: Vários. É... Eu só queria falar uma coisa que eu ouvi várias entrevistas com ele. Eu sei que ele é o cara do Lula, é petista, tudo isso. Mas ele falando essas coisas, um cara normal. Parece comparado com um Bolsonaro, ele parece uma pessoa meio normal.

💡

Petista - a supporter of the PT, the Worker’s Party in Brazil.

Alexia: Sim, pra mim, como eleitora, se eu estivesse no Brasil pra votar. Isso é uma outra coisa também. Quem tiver fora do Brasil e não tiver uma residência em seu nome no país onde você estiver morando, você não pode votar pras Eleições.

💡

como eleitora - as a voter.

Foster: É um negócio do Absentee Ballot. E é um pouco mais complicado pro brasileiro.

Alexia: É, então eu posso votar.

Foster: Você pode, mas seria muito complicado.

Alexia: Não, enfim, não posso. É... Então temos Jair Bolsonaro, extrema direita e Fernando Haddad, esquerda. O Bolsonaro é um maluco, fora de questão, fora da casinha, completamente louco... Ele fala uns absurdos que é contra a moral e ética de quem eu considero meu amigo, sabe? Tipo assim, ninguém que eu considero meu amigo concorda com o que ele fala. É muito surreal.

💡

fora da casinha - off the charts, out of the box, away from the norm. In this case, Alexia is using ‘fora da casinha’ to convey just how crazy and radical some of Bolsonaro’s positions are.

Foster: Eu acho que... É... Estuprando mulheres, sobre homossexuais.

💡

Estuprar - to rape

💡

estupro - rape, sexual assault

Alexia: Ele é. Ele assume isso. Tudo o que eu falo aqui ele assume. Ele é homofóbico. É completamente contra o aborto. Ele deu uma entrevista, um dia, agora não vou saber pra onde, pra quem, etc, mas ele deu uma entrevista que é o seguinte: ele tem muito o... É muito difícil falar isso de uma forma de ser imparcial.**

💡

Ele assume isso. He admits this. He owns up to it.

💡

o aborto - abortion

💡

homofóbico - homophobic.

Foster: A gente já tem a parte do seu pai, então pode dar sua parte também, amor.

Alexia: O Bolsonaro ele tem três ou quatro filhos, uma coisa assim. Então três deles são homens e o último é uma mulher. E aí eles perguntaram, se sua filha, por exemplo, fosse estuprada e engravidasse e tal. No Brasil, se você é estuprada, você pode abortar. Você tem direito ao aborto. Ele quer tirar isso também. Você não se incomoda com isso? Ele falou ‘Olha, cada caso é um caso’ aí saiu pela tangente assim, dessa resposta.

💡

aí saiu pela tangente - and he went of on a tangent like that. He escaped from the question.

Foster: Entendi.

Alexia: Aí ele virou e falou ‘Ah, você sabe, né? Eu fui muito bom nas três primeiras vezes que eu fui pai, que os três vieram homens e na última eu dei uma vacilada e tive uma mulher’.

💡

Vacilada - A mistake. A gaffe.

Foster: Vacilada nele contexto, quer dizer o quê?

Alexia: Quer dizer que ele não foi bom bastante, foi um erro e aí veio uma mulher.

Foster: Ele não foi bom com o espermo dele?

Alexia: É, exatamente. Esperma.

💡

A esperma. The sperm. Lots of interesting vocabulary in this episode!

Foster: Esperma. É difícil contra sua esperma, gente.

Alexia: Bom, e aí entre várias outra coisas, por exemplo, ele quer fazer... É tão horrível... castração química nos pobres. Ele fala que a única forma de evitar a pobreza no Brasil é fazendo castração química.

💡

a pobreza no Brasil - the poverty in Brazil

💡

castração química - chemical castration

Foster: Pera aí, amor. É um assunto que eu tentei evitar com o seu pai. Castrão?

Alexia: Castração. Você deveria ter falado sobre isso com ele, porque meu pai ele sempre fala que a primeira coisa que tem que mudar no Brasil é a miséria. Então ele fala no sentido de tipo, ajudar as pessoas, dar ensino de base, dar saúde, etc.

Foster: Não, seu pai falou sobre isso.

Alexia: Ah, então.

Foster: Mas castração química sobre os pobres.

Alexia: Nos pobres.

Foster: Nos pobres. Isso quer dizer, fisicamente, como nos cachorros.

Alexia: Sim.

Foster: Então, Alexia. Se amanhã a gente acorda. Acorda não, vai acontecer amanhã. E o Bolsonaro ganhar, como vai ser seu dia?

Alexia: Vai ser muito triste. Sabe qual o problema? O Bolsonaro vai ganhar por causa do PT e eu vou explicar o porquê. Tiveram esses escândalos todos em relação à corrupção, e etc e as pessoas estão muito cansadas em escutar falar sobre o Lula, sobre a Dilma. Não foram só eles, gente. Não tô botando a culpa só neles, mas de ficar escutando sobre o que já existe, né, sobre os políticos que já existem.

💡

Eu vou explicar o porquê. I am going to explain why.

💡

Não tô botando a culpa só neles. I’m not placing the blame solely on them.

Foster: Sim, corrupção, impunidade.

Alexia: E o Haddad veio como o Vice do Lula. Porque lá, antes do primeiro turno, quem ia concorrer era o Lula. E as pessoas tinham certeza de que ele ia sair da prisão. E que ele ia ganhar. Com certeza ele iria ganhar.

Foster: Sim.

Alexia: E eu não vou dar minha opinião aqui. Mas, então o Haddad veio como vice. Com essa história toda que aconteceu do Bolsonaro ter sido esfaqueado...

Foster: É outra história que a gente nem tocou até agora. Ele foi esfaqueado. É um House of Cards. Reality TV, versão brasileira.

💡

Ele foi esfaqueado. He was stabbed.

Alexia: Sim.

Foster: Mas não é legal.

Alexia: Não, nem um pouco legal. O cara quase morreu. Isso é um absurdo. Isso é um absurdo. Isso não deve existir de nenhum dos lados. Enfim, não se cura violência com mais violência. Então o Bolsonaro foi criado, essa força inteira dele, por causa do PT. De pessoas que tão cansadas, que não aguentam mais. E também pela grande força que os militares tem no Brasil até hoje.

💡

Não, nem um pouco legal. No, it is not cool at all.

💡

que não aguentam mais. They can’t take it anymore.

Foster: Sim, bom. Posso te fazer uma pergunta?

💡

Posso te fazer uma pergunta? Can I ask you a question?

Alexia: Sim, eu já sei qual é.

💡

Sim, eu já sei qual é. Yep. I already know what it is.

Foster: Não, não é. Fiz a mesma pergunta pro seu pai e eu recebi um desabafo sobre o CNN que não entendi muito, mas... É, cê acha que o Bolsonaro pode ser comparado como o Trump brasileiro?

Alexia: Não, eu acho que ele é muito pior.

💡

Eu acho que ele é muito pior. I think he is much worse.

Foster: Muito pior que o Trump? Eu acho que é mais inteligente, pelo menos.

Alexia: Não, eu acho que o Trump…

Foster: Talvez mais malvado, mas o Trump é idiota pra caralho.

💡

malvado - evil

💡

é idiota pra caralho - dumb as shit (quite vulgar, use sparing depending on the company)

Alexia: Então é isso. Não, o Bolsonaro é muito malvado. Ele tem o discurso de ódio muito mais forte do que o Trump. Assim…

💡

o discurso - the speech. In this context, Alexia is using ‘o discurso’ to refer more broadly to the way in which he speaks. His oratory capacity.

Foster: O Trump só fala…

Alexia: Fake News, ele só fica falando de fake news. O Bolsonaro ele é muito mal, sabe? Ele tem o discurso de ódio muito forte. E o Trump, a meu ver, eu não moro nos Estados Unidos, mas eu tenho experiência com você, ele é megalomaníaco, sabe? Ele gosta do poder, ele gosta de sempre estar nas notícias, independente do que vai acontecer. Ele fala qualquer coisa pra aparecer. O Bolsonaro não. Ele é mau. Ele é mau.

💡

Ele tem o discurso de ódio. His way of speaking is full of hate.

💡

Independente do que vai acontecer. Independent of what is going to happen...

💡

Ele é megalomaníaco, sabe? He is a megalomaniac, you know?

Foster: É malvado. Posso falar uma coisa linguística? Rapidinho? A meu ver, que frase boa. Eu sempre falo, tipo, na minha perspectiva... A meu ver, então Alexia, a gente vai falar muito mais sobre o assunto, mas... Acho que, por agora...

Alexia: Agora o meu desabafo. Rapidinho. Eu vou terminar o episódio com isso.

💡

Agora o meu desabafo. Now my turn to rant.

Foster: Tá. CNN é Fake News, né?

Alexia: Bolsonaro completamente contra minha moral, ética, o que for. Eu não consigo pensar em votar numa pessoa dessas. PT completamente contra minha moral e ética também em relação a tudo o que aconteceu. Não é discurso de ódio, é outra parte. Se me perguntassem, Alexia, em quem que você votaria? Eu acho que só na hora, lá no Brasil, indo pra urna, eu iria decidir e iria votar. É, eu jamais votaria no Bolsonaro. Ou eu anularia ou eu votaria no Haddad. Tá?

💡

o que for. Whatever it may be.

Foster: Sim, você votaria no Haddad.

Alexia: No Haddad.

Foster: No Haddad.

Alexia: Porque, eu sei lá, eu acho que com o Haddad vai continuar a mesma coisa…

Foster: Mesma merda.

Alexia: Que tá o Brasil, a mesma merda. Digamos, bem claro. Com Bolsonaro, pode até mudar, algumas coisas podem até mudar, mas vai começar uma guerra civil silenciosa no Brasil…**

💡

a mesma merda. The same shit. (a little vulgar, but if Alexia is saying it on the podcast, you are probably good in most situations.)

Foster: Silenciosa nada.

Alexia: Que no Rio de Janeiro já existe, muito. Mas em todo o Brasil, de pessoas sendo mais agressivas, indo pra cima das pessoas. Ao mesmo tempo, se o Haddad ganhar, os bolsominions... Que é como a gente está chamando quem vota no Bolsonaro.

Foster: Eu adoro isso. Eu estou chamando a Gaby, nossa cachorra de Bolsominion.

Alexia: Pára com isso! Eu não gosto disso.

Foster: Só chamo às vezes, quando ela é bolsominion mesmo.

Alexia: Se o Haddad ganhar, os bolsominions vão com uma oposição muito grande. Então eu fiquei pensando hoje de manhã, nossa, se eu estivesse no Brasil, o que que eu faria? Provavelmente eu votaria no Haddad, pra eu ser oposição do Haddad logo na segunda-feira. Entendeu?

💡

Se eu estivesse no Brasil, o que que eu faria? If I was in Brazil, what would I do? This is a great example of the conditional tense and a question I ask myself all the time when I’m not in Brazil :)

Foster: É, não é por prazer não.

Alexia: Eu votaria muito, muito revoltada da vida, muito triste, porque eu jamais me imaginaria votando no PT, mas pelo menos isso me dá a chance de ser oposição ao Haddad.

Foster: É, e última coisa que eu queria falar. É, a gente odeia falar sobre a política, então não nos julga, por favor.

Alexia: Não nos julguem.

Foster: Julguem. Se alguém julgar a minha namorada...

Alexia: Não, eu já recebi uma mensagem enorme! Eu nem vou falar muito sobre isso. Mas assim…

Foster: A gente vai lançar os bolsominions pra vocês. O propósito do Carioca Connection é pra informar vocês. Dar um pouco de entretenimento?

Alexia: Ai...

Foster: ...e explicar um Brasil do jeito brasileiro.

Alexia: Sim.

Foster: Então a gente está tentando nosso melhor pra fazer isso de um jeito imparcial…

Alexia: E liberdade de expressão, né gente? Todo mundo tem o direito de falar o que pensa…

Foster: Pelo menos por mais um dia.

Alexia: Aqui é super saudável. Pára com isso. Não, vai dar tudo certo no Brasil, pelo amor de Deus, gente. Tô nervosa.

💡

pelo amor de Deus gente. For goodness sake, guys!

💡

tô nervosa. I am anxious, nervous.

Foster: Eu acho que com isso, a gente pode acabar por hoje, mas a gente está de volta, episódios novos quase todos os dias. Vamos lá. Carioca está de volta.

Alexia: Yay. Tchau.

Foster:

Yay, tchau, tchau.