🫂

S02:E07 - Small talk and introductions

Foster: Olá, Alexia!

Alexia: Oi, Foster!

Foster: Tudo bem?

Alexia: Tudo e com você?

Foster: Tudo ótimo!

Alexia: Muito bom ta falando português depois de um intensivão de espanhol e inglês!

💡

um intensivão - a really intense period of studying Like we have seen in other episode, you can add the suffix "ão" to make something bigger or more important.

Foster: Sim, gente! Realmente estou sofrendo pra caramba! E queria falar uma coisa mais forte...

💡

estou sofrendo pra caramba - I am really struggling a lot 'Pra caramba' simply means a lot, and is not offensive or impolite. On the other hand, you could say "pra caralho" which is much stronger and could be offensive in the wrong circumstances.

Alexia: Não! Não precisa! Não podemos chegar a esse ponto!

Foster: Sim, sim!

Alexia: Mas acho que todo mundo vai entender!

💡

acho que todo mundo vai entender - I think everyone is going to understand

Foster: Sim, mas, na verdade é difícil. Tipo, dois idiomas na mente é uma coisa mas, três? Você já… Eu estou sofrendo pra caramba!

Alexia: É, eu também! Eu também! Eu ia ter uma aula de francês ontem, tive que desmarcar por falta de tempo mas, eu só fiquei imaginando o meu roteirinho, né?

💡

eu ia ter uma aula de francês ontem - I was going to have a French class yesterday tive que desmarcar por falta de tempo - I had to cancel because I didn't have enough time

Foster: É.

Alexia: Do que que eu ia falar com o professor e tal e nada saía em francês! Era tudo em espanhol! Foster: É! Olha isso! Que minha namorada está fazendo… Está aqui em Buenos Aires, não sei se no último episódio a gente já…

💡

olha isso - have a look at this

Alexia: Eu também não sei se a gente falou.

Foster: Bom, agora, a gente tá em Buenos Aires e estamos falando em espanhol todos os dias por las calles e também falamos português entre a gente e também inglês.

Alexia: Não tanto hoje em dia mais porque você se confunde com o espanhol.

Foster: Sim, sim!

Alexia: Tá sendo mais espanhol e inglês mesmo.

Foster: Sim! E às vezes a Alexia está colocando um pouco de francês lá.

Alexia: Só comigo mesma porque eu não falo com você!

Foster: É! Salut! Bonjour!

Alexia: Mas é exatamente sobre isso que a gente vai falar porque eu comecei as minhas aulas de espanhol faz pouco tempo, né? Eu nunca tive aula de espanhol. E eu tava aprendendo o básico. Por mais que eu já consiga falar e as pessoas me entenderem com o meu portunhol eu tava aprendendo o básico.

Foster: É, é! Eu acho um caso bem curioso com todos os brasileiros que estão aprendendo espanhol, porque a maioria das pessoas vão te entender, né? Porque o português e o espanhol são línguas parecidas.

💡

são línguas parecidas - they are similar languages

Alexia: Sim!

Foster: Dá para entender se você está falando devagarinho. Mas, para realmente falar espanhol e falar bem é outra coisa.

💡

dá para entender - you can understand. The construction "dá para + an infinitive verb" is an easy way to explain that you are able to do something.

Alexia: É outra coisa! E aí eu percebi que eu pulei o nível das introduções, né? Do “oi, tudo bem?” “Hola como estás?”, porque isso já tava dentro de mim. Então eu já fui para um outro nível. E aí eu fiquei pensando nas pessoas que tão escutando a gente. Que a gente já tá num outro nível de português, a gente já tá muito avançado. Mas às vezes o básico faz falta! Por exemplo, aqui na Argentina é: “Hola! Como estás vos?” que é: “como você está?”. O “vos” eu não sabia que existia.

Foster: Sim!

Alexia: Então é diferente! Então se você for para Portugal, vai ser diferente do Brasil. Mas, como a gente tá falando de Brasil e da diferente dos Estados, isso não difere tanto, ainda bem!

💡

se você for para Portugal, vai ser diferente - If you go to Portugal, it's going to be different Another great example of Alexia using the future perfect tense.

Foster: Sim, exatamente. É uma coisa que a maioria das pessoas já sabem mas eu dou aula de inglês, sou professor de inglês, e eu sempre dou muita importância… Importância?

Alexia: Sim!

Foster: É… Nas primeiras impressões, né? Em como se apresentar. Porque é a primeira coisa que a pessoa vai pensar sobre você. E se você pode fazer essa apresentação com muita facilidade, a probabilidade de que você vai fazer amizades, etc, é muito mais alta.

💡

primeiras impressões - first impressions

Alexia: É!

Foster: Você acha?

Alexia: É! E é aquela expressão: “a primeira impressão é a que fica”.

💡

a primeira impressão é a que fica - the first impression is the one that sticks

Foster: Exatamente!

Alexia: Sim! Bom, Foster! Você chegando no Brasil a primeira vez, a primeira vez de todas! Você sabendo um pouco de português, como é que foi?

Foster: É…

Alexia: Cheguei no aeroporto, falou com o policial federal, tudo certo né?

Foster: Boa pergunta! Bom! Deixa eu pensar… Para ser bem sincero, não lembro do aeroporto.

Alexia: Mas normalmente que que eles perguntam?

Foster: Bom dia! Por que você está aqui? Você está aqui de…

Alexia: Por que você está aqui, quanto tempo você vai ficar aqui, talvez te pergunte onde você vai ficar…

Foster: Caraca! Buenos Aires é uma cidade barulhenta pra cacete! Caramba! Tá.

💡

uma cidade barulhenta - a noisy city pra cacete - an informal (and quite vulgar) way to say "really" and add emphasis to a phrase

Alexia: São coisas normais. Isso você pode decorar e responder em inglês ou em português, que você não vai ter o menor problema. Mas aí você saiu da polícia federal e foi direto para pros táxis ou Uber, ou coisa parecida.

💡

são coisas normais - they are normal things você não vai ter o menor problema - you want have any problems

Foster: Sim.

Alexia: E no Rio, eu vou falar sobre o Rio, né? Não vou falar sobre o restante dos Estados. Nem todo mundo sabe falar inglês. Então você tem que saber…

Foster: Sim, eu diria que 80% da…

Alexia: É, depois da Copa e das Olimpíadas, até que melhorou um pouco! Quem presta serviço já sabe falar: “Hi! How are you?” “Where are you going?” tipo, só isso mas não levar uma conversa.

💡

depois da Copa e das Olimpíadas - after the World Cup and the Olympics

Foster: É, mas depende da idade da pessoa também.

Alexia: Depende de tudo.

💡

depende de tudo - it depends on everything

Foster: Da geração. Mas, o que você quer saber? Por que você está falando de aeroporto, taxista?

Alexia: Bom, porque assim que as pessoas chegam…

Foster: Eu pensava que era um episódio de apresentações.

Alexia: Não, é porque, assim que as pessoas chegam, é a primeira dúvida. Por exemplo, eu não sei o idioma, como é que eu vou conseguir me virar? O que que eu devo falar?

Foster: Tá.

Alexia: Então é mais ou menos isso. O “Oi, tudo bem?”; “Como vai?”; “Você pode me levar para…” e assim vai.

Foster: Sim. Então, eu tenho duas dicas. Você quer saber?

💡

Você quer saber? Quero! - Do you want to know? Yes! This is another great example of how you can always respond with the verb in Portuguese.

Alexia: Quero!

Foster: Tá. Minha primeira dica seria: só repetir. Se alguém falar alguma coisa com você, como de apresentação é só repetir. Então, se alguém te falar: “tudo bom?” fala “e aí, tudo bom?”. “E aí, tudo bom?, “E aí! Tudo bom?”.

Alexia: Porque você devolve a pergunta.

💡

porque você devolve a pergunta - because you give the questions back to them

Foster: É. “E aí, beleza?”, “Beleza! E aí?” Isso ajuda muito.

Alexia: Sim!

Foster: É um bom jeito pra fingir que você sabe muito mais português do que você realmente sabe.

💡

é um bom jeito pra fingir - it is a good ways to pretend

Alexia: É!

Foster: Outra dica é, como é que é? Ah! A palavra “tá”. Tá. Tá é tipo “okay”, “I understand you”, I am continuing the conversation, right? Então, eu percebi quando eu falava tá muito, tipo...

Alexia: Você ainda usa muito “tá”, você sabia disso?

Foster: Que?

Alexia: Você ainda muito “tá” no podcast.

Foster: Sim!

Alexia: Muito!

Foster: Você também!

Alexia: Sim!

Foster: Sim. É, mas, tanto faz se você não está entendendo tudo pode falar “tá”, “tá, tabom”, “tá”, “tá”. E a pessoa sempre acha que você está entendendo tudo!

Alexia: Ou então o “aham!”, “uhum!”. Pronto!

Foster: Sim! Tá, tabom! Bom, eu tenho uma pergunta para você, Alexia.

Alexia: Fala!

Foster: Você pode explicar a diferença entre “tudo bem” e “tudo bom”?

Alexia: Não tem! “Oi, tudo bem?” é a mesma coisa que “oi, tudo bom?”

💡

Despite what you will probably be taught in a traditional school, there is no fixed rule as to the difference between "tudo bem" e "tudo bom".

Foster: Sim, é… O que a gente sempre aprende nas escolas de português que não tem muitas… Mas é que se alguém te falar “tudo bem”, você responde com “tudo bom”. Mas, na minha experiência acho que…

Alexia: Não! Não… Eu acho que isso é uma coisa… Sinceramente nem sei da onde vem essa regra, então é: “oi, tudo bem?”, “tudo e com você?” ou então: “oi, tudo bom?”, “tudo e com você?”. Cabô!

Foster: Sim, mas é uma coisa tipo… Eu acho que é uma coisa que demonstra muito a espontaneidade do brasileiro porque pode fazer com muita variedade. Tipo: “e aí, tudo bom?”; “e aí, cara tudo bom?”, “tudo bom com você?”; “tá tudo de bom aí?”.

Alexia: Não, aí você já exagerou!

💡

aí você já exagerou - ok, now you are exaggerating

Foster: É, mas estou exagerando um pouco! Mas é uma coisa que você pode brincar. Alexia

Sim! É, o bom do português é que você tem várias palavras com os mesmos significados que você pode usar em diferentes situações. Então, por exemplo: “cara”, “parça”, “parceiro”, “broder”...

💡

These are all different ways to say dude, man, bro.

Foster: É, todas essas são palavras para “dude”...

Alexia: E tudo isso é para a mesma coisa!

Foster: “Man”, né?

Alexia: É.

Foster: E aí, cara? E aí, parceiro? E aí, mané? Mas, por exemplo… Bom, mais uma pergunta, pode?

Alexia: Claro!

Foster: A palavra “beleza”.

Alexia: Uhum!

Foster: Que a tradução literal seria “beauty”.

Alexia: Sim!

Foster: Mas, eu sempre escuto: “e aí, beleza?”

Alexia: É!

Foster: Quer dizer o que?

Alexia: “E aí, tudo bem?”

Foster: E aí, tudo bem?

Alexia: É! “E aí, tá tudo beleza com você?” “E aí, tá tudo bem com você?” O pai da minha melhor amiga, o apelido dele é Zé Beleza. Então é “Zé tudo bem” entendeu? Tipo, que ele é uma pessoa muito boa.

Foster: É! E às vezes nem tem o “e aí” é só “beleza?”.

Alexia: É!

Foster: E pode repetir “beleza”.

Alexia: “Beleza, cara!”

Foster: E quando eu estou falando com gringos americanos, qualquer pessoa que está tentando aprender português, você pode pensar como a gente faz no inglês, também. Porque é bem parecido, tipo: “what’s up?”, “nothing, what's up?” or “how’s it going?”, “good, how’s it going?”. É muito de repetir, de brincar com as palavras.

Alexia: E aí também tem: “e aí, tranquilo?”

Foster: Tranquilo!

Alexia: Tranquilo, cara!

Foster: Tranquilão! Tranquilasso!

Alexia: Tranquilo também é uma… Você tá tranquilo ou tranquila. Ou seja: você tá calma, você tá na paz, então…

Foster: Chill!

Alexia: E aí, tranquilo? Quer dizer: “tá tudo bem?”

Foster: É!

Alexia: Você tá de boa?

Foster: É, tranquilo é tipo…

Alexia: É a mesma coisa com diferentes formas. Então… É… O que é interessante é porque diferentes grupos de pessoas usam diferentes significados então…

Foster: Óbvio!

Alexia: Então se você for uma pessoa mais formal, você vai falar: “como vai você?”.

Foster: É!

Alexia: Se você for uma pessoa, entre aspas normal, você vai falar “e aí, tudo bem?”. Se você for um surfista você vai falar: “colé mermão, beleza?”.

💡

entre aspas - in quotations

Foster: É, exatamente! Porque nos livros didáticos, sempre tem “como o senhor vai?” e às vezes quando eu dou aula de português, sempre é: “e aí, tudo bom cara?” e eles me respondem “Bem! Como você vai bem, também?” mas é não, cara! Você vai no ritmo!

💡

livros didáticos - textbooks

Alexia: Ontem eu tava falando com um dos nossos ouvintes, Ryan!

💡

Ontem eu tava falando com um dos nossos ouvintes, Ryan! - Yesterday I was talking to one of our listeners. Hey Ryan!

Foster: Fala aí, Ryan!

Alexia: E a gente tava falando a diferença de línguas e como para ele o português é muito mais difícil que o espanhol, então se tiver alguém que já saiba falar espanhol aqui, vai saber.

Foster: Sim, concordo!

💡

concordo - I agree An easy way to remember this is to think about the English word, "concur".

Alexia: A diferença é que o português tem muitos mais… Tem muitos mais sons diferentes do que o espanhol, então, as nossas vogais…

Foster: Aliás, eu acho que eu posso falar com certeza que o espanhol normal, tipo, neutro, tem 38 sons e o português brasileiro tem 55.

Alexia: É! Então, realmente… Muitos mais sons que o normal. Mas, isso você também pega na prática. Não vai querer já ficar falando os diferentes sons. É normal quando você vai entender. Até porque os sons do nordeste são diferentes dos sons do sudeste.

💡

você pega na prática - you get the hang of it by practice nordeste - northeast sudeste - southeast

Foster: É!

Alexia: Mas se você chegar no Nordeste e falar: “e aí, tudo bem?” todo mundo vai te entender.

Foster: É! Então, para acabar Alexia você quer dar o exemplo de tipo uma conversa normal tipo a gente está se conhecendo pela primeira vez.

Alexia: Então, a gente se apresenta:

Oi! Meu nome é Alexia, tudo bem?

Oi! Tudo bom? Meu nome é Foster, e aí?

Tudo tranquilo. O que que você tá fazendo aqui?

Estou estudando!

Ah, é? O que?

Estou estudando português!

Caraca, que legal! E você escolheu logo o Brasil e não Portugal, por que?

Eu realmente não sei, cara. É que o Brasil é um país sensacional pra mim.

Que bom! Bom, eu estudei Administração e agora eu só trabalho.

Ah, e você mora aqui?

Moro! Moro em Copacabana.

Você é Carioca?

Sou!

Da gema?

Sim, claro!

Perfeito.

Foster: Viu, gente? Posso falar em inglês rapidinho?

Alexia: Claro!

Foster: If you can memorize that one little script, that will make your life so much easier in Brazil! Because I promised that when I arrived I said that one thousand times and everyone said like: “Nossa, cara! O seu português é… Você tem um português muito bom, né?” e foi “Não, não cara! Foi só isso!”. Mas daí você vai desenvolvendo toda a sua fala.

Alexia: Sim! Ou então por exemplo: quando você quer comprar um suco.

Foster: Sim.

Alexia: Vai, me pergunta. “Tem de laranja, limão e melancia”.

Foster: Ah. Então eu estou chegando numa…

Alexia: Você está chegando no BB Lanches. Aliás, é uma dica ótima. E você quer tomar um suco. Você chega e fala como com a pessoa?

E aí, tudo bom? Você me vê um suco de laranja, por favor?

Pequeno, médio ou grande?

Pequeno!

Sai um suco de laranjaaaa…!

Foster: Saindo um sucooo! Açaí, açaí!!!

Alexia: É, porque, nesses lugares ninguém vai virar e falar: “Você prefere…” não! É “pequeno, médio ou grande”. Eles já vão pra…

Foster: Sim! Exatamente. Bom, gente! A gente já falou de apresentações, sucos, conversas básicas... Alexia: Curiosidades.

Foster: Roteiros. Acho que é suficiente por hoje, né?

Alexia: Sim.

Foster: Tá. Ta bom. Beleza!

Alexia: Então tá bom, gente!

Foster: Tchau!