🩴

S01:E31 - Beaches in Rio de Janeiro Part II

Listen on:

Alexia: E aí, de acordo com o posto que você escolhe e fica na praia, é a sua galera. Por exemplo, quando eu era muito jovem, eu morava mais longe da praia e sempre tinha que pegar um ônibus para chegar e tal. E a gente marcava um ponto de encontro. A gente sempre ficava entre o Posto 10 e o Posto 9, em frente a uma barraca X que agora eu esqueci o nome. Hoje eu vou no Posto 11 do Leblon, simplesmente por conveniência. Porque é perto da minha casa. Tem muita gente que faz isso também. Quanto mais perto de casa, melhor.

💡

de acordo com. In agreement with.

💡

um ponto de encontro. A meeting point.

💡

Quanto mais perto de casa, melhor. The closer to home, the better.

💡

sua galera. Your friends, gang, people.

💡

é perto da minha casa. It’s close to my house.

Foster: É, mas não é porque você é patricinha, não.

Alexia: Não. Eu não sou patricinha.

Foster: Você acha que não?

Alexia: EU NÃO SOU PATRICINHA! Aí você chega, depois de escolher o seu posto, você escolhe qual barraca ficar. Sempre vão ter vendedores ou pessoas chamando a sua atenção: "Querida, quer uma barraca? Quantas cadeiras?". E eles falam muito rápido e você no meio já está sentada em uma cadeira com a barraca, tudo pronto e eles te oferecendo alguma bebida!

💡

Vendedores. Vendors.

Foster: Açaí, açaí, açaí, açaí! Conta a história do cara que falou: "Aaaaaa-bacate!"

Alexia: Não é abacate, não. É abacaxi.

💡

Abacate. Avocado. Listen to the difference in Alexia’s pronunciation between these two.

💡

Abacaxi. Pineapple.

Foster: Abacaxi. Eu sempre fico confuso com isso.

💡

Eu sempre fico confuso com isso. I always get confused with this.

Alexia: Existia um vendedor há muito tempo que andava por toda a praia. Quando eu falo toda a praia, normalmente é Ipanema e Leblon. Andava por toda a praia. E ele vendia abacaxi. Era um vendedor normal de praia... bom, uma coisa que vocês têm que saber: aqui no Rio tem muito vendedor na praia. De bebida, de mate normal, de mate de galão (que depois eu explico o que é), de biscoito Globo (que eu também depois explico o que é).

Foster: Que é uma delícia!

💡

é uma delícia! It’s great, wonderful, delightful.

Alexia: É uma delícia! E tem empada, queijo coalho...

Foster: Comida árabe! Esfiha.

Alexia: Comida árabe. Sanduíche natural. Tem tudo o que vocês imaginam.

💡

Tem tudo o que vocês imaginam. They have everything you could imagine.

Foster: Tem... você já falou cerveja, né?

Alexia: Eu já falei bebida!

Foster: Tem até camarão!

💡

Tem até camarão! They even have shrimp.

Alexia: Mas, eu não gosto de comer camarão na praia.

Foster: Todo carioca me fala que camarão é um pouco desconfiado, né?

Alexia: É super para desconfiar!

Foster: Mas, dá para provar. Se você está aqui uma vez, prove um camarão!

Alexia: Qualquer coisa, eu te indico o hospital mais perto, tá? Já eu falo sobre isso!

Foster: Tá. E uma coisa antes de eu esquecer. Antes de esquecer, né?

Alexia: 'Antes que eu me esqueça'.

💡

Antes que eu me esqueça. Before I forget.

Foster: Use protetor solar. A última vez, foi semana passada, a gente ficou na praia e eu fiquei queimado...

Alexia: Igual a um camarão!

Foster: É, camarãozinho. Enfim...

Alexia: Eu ainda não contei a história do abacaxi!

Foster: Ah, conta!

Alexia: E esse vendedor ficava pelas praias. Só que ele escolhia suas vítimas, digamos assim. Ele chegava bem perto assim do ouvido da pessoa, sem a pessoa perceber, e gritava: "AAAAABACAXI!". Isso sempre acontecia comigo. Eu levava o maior susto! E normalmente eu estava sentada, deitada, olhando a vista, pensando na vida. Vinha uma pessoa por trás e gritava: "AAAAABACAXI!". E ele não vendia nada. A diversão dele era sacanear as pessoas. Fazer brincadeiras com elas.

💡

Sacanear. To mess with, to joke around, to fuck with.

Foster: É engraçado, né?

Alexia: É um horror! Coitado, eu adorava ele, mas eu xingava muito ele!

💡

Coitado. Poor guy.

Foster: Ele morreu faz pouco tempo, né?

Alexia: Não, eu acho que faz bastante tempo, mas ele morreu. Não sei do quê.

Foster: Tá. Vamos continuar falando de... as praias do Rio não somente é Copacabana, Leblon e Ipanema.

Alexia: Não.

Foster: Tem umas praias até mais bonitas, até discretas. Conta para a gente!

Alexia: Bom, temos a Prainha, que o Foster é apaixonado.

Foster: A Prainha é uma praia super linda. Acho que é a minha praia favorita, predileta do Rio. É uma delícia!

Alexia: É porque as praias da Zona Sul já são invadidas por multidões.

Foster: Quer dizer que tem muita gente.

Alexia: Essas praias de fora, que são Grumari, Prainha, Abricó, Praia do Secreto, enfim, todas essas são bem mais afastadas, que você demora tipo uma hora ou uma hora e meia para chegar de carro.

Foster: Às vezes, né? A gente está falando das praias pequenas que ficam no... leste? Tipo, além do Recreio, da Barra, de Tijuca.

Alexia: Em direção à Angra, que é um outro lugar aqui do Rio. Fica em direção à Angra.

Foster: À Angra dos Reis, onde a gente vai daqui a pouco.

Alexia: A gente vai na semana que vem!

Foster: A gente vai contar sobre isso também.

Alexia: Então, essas praias mais afastadas... vamos falar sobre a Prainha. A Prainha é um lugar de surfista. Praticamente só surfista vai para lá. Então os próprios surfistas tomam conta da Prainha. Ou seja, se vai alguém de fora que deixa lixo no chão ou coisa parecida, eles vão e chamam a atenção da pessoa. E normalmente eles não deixam a pessoa voltar lá. É bem assim mesmo. Tem um número limitado de carros para entrar e de pessoas para entrar também. Então é muito bem cuidada. Não é poluída. É um lugar lindo para ir! É uma natureza quase intocada.

💡

Afastadas. Far away. Remote. Distant.

💡

Não é poluída. It’s not polluted.

Foster: Super lindo!

Alexia: Tem uma trilha para fazer atrás.

💡

uma trilha. A trail (for hiking).

Foster: Tem um parque estadual, né? É tipo uma reserva natural, que tem trilha e tem uma vista panorâmica da Barra e do Recreio, que é super lindo.

💡

um parque estadual. A state park.

Alexia: Essa trilha eu ainda não fiz.

Foster: É difícil. Demora tipo quase uma hora para chegar lá em cima. Mas, vale à pena, com certeza! Também na Prainha tem um restaurante que é super bom.

Alexia: Tem um peixe maravilhoso lá!

Foster: Tem um peixe e uma vista incrível, desfrutando de uma peixe e uma cerveja geladinha, casquinha de siri.

Alexia: Eu já iria na minha caipirinha.

Foster: Ela não é muito de cerveja, não. Então, duas cervejas para mim.

Alexia: Não, eu gosto de uma coisa mais cachaça, vodka...

Foster: É, um gole de cachaça ela está afogando no mar, né?!

Alexia: Que ridículo! Mentira. Não é tanto assim. Mas, provavelmente, eu estaria indo para a praia dos nudistas. E tem, viu, gente? Logo depois da Prainha tem uma praia dos nudistas, para quem tiver interessado.

💡

a praia dos nudistas. Nudist beach.

Foster: Eu nunca fui. Olha, a gente nunca foi. Mas...

Alexia: Daqui do Rio eu nunca fui.

Foster: Daqui a pouco... o que você acha das praias de nudistas?

Alexia: Eu fico muito nervosa.

💡

Eu fico muito nervosa. I get nervous.

Foster: Eu também. Eu acho que não é minha coisa, não.

Alexia: Porque uma vez eu fui a uma praia fora do Rio, em um outro país, em Punta Del Este, no Uruguai.

Foster: Que é um lugar lindo também.

Alexia: É um lugar lindo. Enfim, eu tava num grupo de amigos, de umas 13 pessoas. E todo mundo resolveu: "Vamos à Praia do Biquíni". Eu acho que era esse o nome. Esqueci o nome. Enfim, era uma praia meio nudista e meio de galera com roupa.

Foster: Galera com roupa?! Quer dizer, galera do mal, né?

Alexia: Os errados! E aí um grupo de meninos veio falar com a gente e eles estavam nus. Então o que você faz nessa hora? Você está com roupa, a pessoa está sem roupa num lugar público.