🎦

S01:E27 - Brazilian Cinema

Listen on:

Foster: Oi, gente! Seja bem-vindo a mais um episódio de Carioca Connection.

Alexia: Sejam bem-vindos!

Foster: Eu estou aqui com Alexia.

Alexia: Eu estou aqui com o Foster.

Foster: E hoje a gente vai falar sobre o cinema brasileiro.

💡

O cinema brasileiro. Brazilian cinema.

Alexia: Sim!!

Foster: Então, fala, Alexia!

Alexia: Bom, o cinema brasileiro vem crescendo muito nos últimos anos para cá.

💡

Nos últimos anos. In recent years. In the last few years.

Foster: Historicamente, quando a gente pensa nos grandes filmes do mundo...

💡

Historicamente. Historically.

Alexia: A gente sempre vai para a indústria americana!

💡

A indústria americana. American industry.

Foster: Americana e também espanhois, franceses, é (“e”) mais...

Alexia: Argentinos também. E também tem muita coisa de Bollywood.

Foster: É. Mas, o cinema brasileiro não é conhecido como um cinema mundial.

Alexia: Não. Bom, pelo menos o que eu penso é que todo mundo começou a perceber sobre a indústria cinematográfica brasileira quando saiu o Tropa de Elite 1.

💡

Pelo menos. At least.

Foster: Tropa de Elite é sobre o quê?

Alexia: É sobre o BOPE, que é uma polícia especializada aqui no Rio de Janeiro, que basicamente tenta controlar o tráfico de armas, de drogas, o policiamento dentro das favelas (que são as comunidades mais pobres). Enfim, o BOPE é uma polícia bem séria aqui dentro.

💡

BOPE. Batalhão de Operações Policiais Especiais.

💡

Tráfico de armas. Arms trafficking.

Foster: É, tipo, sei lá, o Secret Forces do... Secret Forces, não, tipo o Secret Services dos Estados Unidos.

Alexia: Ele é mais tático, né, o BOPE?

💡

Tático. Tactical.

Foster: É.

Alexia: Ele não é tanto de inteligência assim, na verdade. Mas, esse filme contou sobre a vinda do Papa para o Brasil, para o Rio de Janeiro especificamente, e como é que o BOPE tentou organizar para que não tivesse nenhum tipo de tragédia, né? Digamos assim. E mostra as partes ruins e as partes boas.

💡

Digamos assim. Let’s put it this way.

Foster: É um filme muito violento!

Alexia: É um filme muito violento, mas muito realístico da época do Rio de Janeiro, porque hoje em dia já melhorou bastante. Tenho que admitir isso! E eu acho que o pessoal começou a prestar mais atenção no Rio por causa disso, tanto por mostrar a realidade carioca, quanto por um filme muito bem feito! Muito.

💡

Tenho que admitir isso! I have to admit this!

Foster: E quem foi a personagem principal?

💡

A personagem principal. The main character.

Alexia: Capitão Nascimento! Era o principal capitão...

Foster: Que é o Wagner Moura, né?

Alexia: Ah, sim!

Foster: O ator talvez mais famoso.

Alexia: Não é 'Uágner', é Wagner!

Foster: Ah, Wagner!

Alexia: Wagner Moura!

Foster: É um nome difícil.

💡

É um nome difícil. It’s a hard name (to pronounce.)

Alexia: É o que está fazendo Narcos, agora no Netflix.

Foster: Uhum. Falando espanhol.

Alexia: Sim.

Foster: Mas, então, vamos dizer que esse foi o filme que colocou o cinema brasileiro no mapa.

Alexia: Talvez. Eu não sei. Eu acho que na época moderna, sim.

Foster: Um deles. Mas, também tinha Cidade de Deus, né?

Alexia: Cidade de Deus também. Eu acho que o cinema brasileiro choca muito pela realidade do nosso país. Não é nem pela questão da produção ser muito bem feita, mas sim pelo chocar.

Foster: Mas, eu achei Cidade de Deus, a produção foi incrível!

Alexia: Foi. Bom, uma grande questão sobre a indústria cinematográfica é a questão do dinheiro, né? O Brasil nunca investiu muito na cultura como um todo. O brasileiro não tem a cultura de ir ao teatro, de ir ao cinema, de ir ao... só a classe média que tem dinheiro para pagar. Porque ir ao cinema você já gasta tipo R$ 100 numa ida com duas pessoas.

💡

Uma questão do dinheiro. A question of money. A financial issue.

Foster: É, faz sentido, né? Porque o Brasil tem coisas mais importantes para...

💡

Faz sentido, né? It makes sense, doesn’t it?

Alexia: Como as Olimpíadas! E a Copa do Mundo.

Foster: Eu estava pensando na educação, na saúde, mas... enfim, pode dar mais exemplos de filmes brasileiros que realmente te impactou?

Alexia: Sim, tem um que eu gosto muito que é o Faroeste Caboclo, que é um filme que foi inspirado numa música do Renato Russo, que se chama Faroeste Caboclo - procurem, é linda!. E conta a história dessa música, na verdade. É um filme gravado todo em Brasília com atores super bons daqui do Brasil com a Ísis Valverde, que é uma mulher linda e super talentosa! E eu gostei muito. Eu acho que a indústria vem crescendo bastante, cada vez mais. Bom, a gente está fazendo mais parte do boca-a-boca lá fora. Teve um último filme que até participou de ganhar o Oscar, que é O Menino e O Mundo.

💡

Boca-a-boca. Word of mouth.

Foster: Uhum. Que é um filme animado.

💡

Um filme animado. An animated film.

Alexia: É uma animação.

Foster: Bom, também eu queria falar que Renato Russo é um 'cantante' muito famoso.

Alexia: É o quê, desculpa?

Foster: É um cantor!

Alexia: Isso!!

Foster: Desculpa. É muito famoso, ele é brasileiro e ele é o cantor do Legião Urbana. E também tem mais um filme que se chama Somos Tão Jovens, que eu assisti e que é muito bom também. Sobre a música, tem muitos filmes. Eu vou falar mais sobre isso em mais um podcast com o Pablo.

Alexia: E eu gosto muito, que agora a gente também está investindo muito em série. A quantidades de séries brasileiras está aumentando muito.

Foster: No HBO tem várias coisas super legais!

Alexia: Até no Netflix, você não está tendo?

Foster: Tipo o quê?

Alexia: Não sei, mas eu escutei falar que estava tendo muita série brasileira agora entrando. Não sei se é para essa nova, no ano que vem ou para agora.

Foster: Tem vários. Mas, se você tem HBO, tipo HBO Now, HBO Go!, pode assistir todas as séries brasileiras porque...

Alexia: Quais você que você indica?

💡

Quais você que você indica? Which ones would you recommend?

Foster: Eu indico primeiro, se você está vindo para o Rio, é uma série que se chama Preamar, que é ótima! É sobre um financeiro, um cara que trabalha no mundo do investimento financeiro, né, e ele perde todo o dinheiro dele e ele começa um negócio das praias de Ipanema e Leblon. E é super legal.

Alexia: Eu nunca assisti.

💡

Eu nunca assisti. I’ve never seen it.

Foster: É muito bom, muito bem feito. E você vai aprender muito sobre o Rio, as favelas, as gírias cariocas, é super legal! Tem muito helicóptero hoje.

Alexia: Tá demais! Domingo, né?

💡

Tá demais! It’s too much! Can be taken literally or can refer to something that is really good.

Foster: É.

Alexia: Ah, como prometido, nós estamos aqui depois do almoço gravando mais. Bom, enfim, gente, eu acho que tem muito filme brasileiro aí a ser descoberto. A gente está investindo cada vez mais. O lugar onde eu trabalho vai lançar agora um filme em junho. Eu estou super, super, super ansiosa. Tomara que dê certo! E tem um filme de comédia, que é muito bom, que se chama "E aí, comeu?", que mostra bem o brasileiro! Tipo, o homem brasileiro...

Foster: "E aí, comeu?" quer dizer o quê?

Alexia: E aí, transou?!

💡

E aí, transou?! So tell us, did you have sex?

Foster: Isso não é uma palavra que você vai falar com os seus pais.

Alexia: Não, por favor! Né?

Foster: Mas, é muito engraçado também!

Alexia: Vale à pena!

💡

Vale à pena! It’s worth it!

Foster: Como se chama o cara também... o Bruno?

Alexia: Bruno Mazzeo.

Foster: Ele também tem uma séria que se chama Cilada, que você pode achar no Youtube e é muito engraçado, é muito bom para aprender português. Enfim, qual seria o seu filme predileto?

Alexia: O filme predileto de todos os tempos?

Foster: Brasileiro.

Alexia: Ih, brasileiro?!

Foster: Tipo, escolhe um filme que você gosta.

Alexia: Eu gosto muito desse Faroeste Caboclo, de verdade. Eu acho que foi um que me impressionou bastante.

Foster: Bom, um filme que eu gostei muito se chama 'O Que É Isso, Companheiro?'. Você já viu?

Alexia: Não vi.

Foster: É muito bem feito.

💡

É muito bem feito. It’s really well done.

Alexia: É engraçado! É isso o que eu estou percebendo: os gringos, né, os turistas sabem muito mais de filmes bons brasileiros do que nós mesmos brasileiros! Porque é isso que eu estou falando: a gente não investe na própria cultura. A gente prefere ver filme americano e filme estrangeiro do que os próprios nacionais.

Foster: Outro filme que eu vi que adorei é tipo "O Trem Central"? "Estação Central"?

Alexia: "O Vagão da Central", não sei, é uma coisa assim! Eu sei qual é esse. Esse é muito legal.

Foster: A gente vai colocar o nome certo nos links, mas é muito bom também.

Alexia: Esse é muito bom. Esse eu gostei. Esse eu gostei bastante. E também tem um que eu não gosto, que é "Rio, Eu Te Amo".

Foster: Nããão.

Alexia: É horrível, gente! É muito ruim. Não caiam nessa cilada!

💡

Não caiam nessa cilada! Don’t fall in this trap!

Foster: Mas, se você é fã da música, a última que a gente vai recomendar hoje é "Orfeu Negro". É sobre o Carnaval no Rio de Janeiro. Foi feito nos anos 60, eu acho. Mas, é lindo, lindo o filme!

Alexia: Não vai ser a última dica. Eu acho que a última dica vai ser o filme do Tim Maia. O filme do Tim Maia é muito bom. É muito bom. Vale à pena.

Foster: Então, tá, gente, vocês têm talvez dez filmes para começar a sua jornada com o cinema brasileiro.

Alexia: E se vocês tiverem dicas de filmes do seu país, de onde vocês moram, algo que vocês gostaram muito, mandem para a gente também. A gente ama assistir!

Foster: Deixa um comentário. A gente somos muitos de filme, né?

Alexia: Somos! Somos cinéfilos.

💡

Somos cinéfilos. We are movie lovers. Cinephiles. Movie buffs.

Foster: Isso!

Alexia: Fala cinéfilos!

Foster: Cinéfilos.

Alexia: Muito bem.

Foster: Falei bem. Então, tchau gente!

Alexia: Tchaaau!

Foster: Até mais!